quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Carroceiros iniciam qualificação para retirada de carroças das ruas até 2016

Com a mesma rapidez com que carroças transitam pelas ruas de Porto Alegre, a Prefeitura começou a implementar as ações previstas na legislação municipal para carroças não estejam mais circulando pelas ruas da capital até 2016. O texto sancionado em setembro de 2008 pelo então prefeito em exercício Eliseu Santos saiu do papel ontem com a conclusão da primeira turma  para qualificar carroceiros e carrinheiros em recicladores. O trabalho realizado na região das ilhas é coordenador pela Secretaria Municipal da Indústria e Comércio com recursos de convênio com o Governo Federal.
Para começar a cumprir a lei a SMIC fez uma espécie de ‘gambiarra administrativa’ e adaptou uma parte do seu Programa 175 (destinado à qualificação de mais de quatro mil mulheres) para atender  aproximadamente 300 mulheres da região das ilhas e que vivem do produto da coleta feita pelas carroças. A primeira turma de 130 mulheres terminou ontem. Uma nova inicia hoje. “Customizamos o projeto para atender à demanda”, admite o secretário Valter Nagelstein.
O curso ensinou as mulheres a trabalhar com artesanato a partir de elementos naturais, EVA e material reciclável. A intenção da SMIC é colocar este produto a venda nas feiras do municípios. Nagelstein espera começar logo no Caminho dos Antiquários. O próximo passo é garantir às mulheres a carteira de artesã e preparar os homens para atividades como o conserto de barcos e construção civil, entre outros.
Nos próximos dias a Prefeitura de Porto Alegre espera ver assinada a contratação de uma empresa para que seja feito o cadastramento de todos os carroceiros e carrinheiros em Porto Alegre.  O trabalho será feito na base da Governança Solidária (Estado-Comunidade-Iniciativa Privada). Serão R$ 300 mil para conhecer o perfil de quem vive das carroças.
Ponte do Guaíba é gargalo no trânsito de carroças
Foto: Genaro Joner
“Nosso trabalho é para que em 2014 boa parte do nosso trabalho já esteja concluído”, projeta o secretário de Governança Solidária Cezar Busatto. Na última sexta-feira chegou à Câmara Municipal o projeto que cria o Fundo para Implementação do Programa de Redução Gradativa de Veículos de Tração Animal e Veículos de Tração Humana. A expectativa é que com mais recursos o deslocamento destas famílias para outras atividades econômicas ganhe celeridade.
O envio do projeto atende uma reivindicação do autor da lei. O vereador Sebastião Melo (PMDB) lamenta que mais dois anos depois de sancionada a lei ainda não tenha sido concluída a identificação de quem vive desta atividade nem o emplacamento das carroças. “As coisas administrativas são bem encaminhadas quando há vontade política”, sustenta. O presidente da EPTC, Vanderlei Capellari, diz que a prefeitura não irá emplacar os veículos de tração animal. “Seria um custo desnecessário uma vez que a lei prevê que elas serão extintas no município”, argumenta.
http://wp.clicrbs.com.br/andremachado/2010/11/30/carroceiros-iniciam-qualificacao-para-retirada-de-carrocas-das-ruas-ate-2016/?topo=52,1,1,,171,13

Um comentário:

  1. Bom, se os carroceiros serão encaminhados para um outro tipo de atividade, acho que a iniciativa é mto boa. O que n pode é deixar essas pessoas que já vivem em confições ruins, na pior, né?
    Vamos ver se o projeto vai realmente caminhar...tomara que sim =)
    Um forte abraço ;)
    www.nicellealmeida.blogspot.com

    ResponderExcluir

Se você irá apenas deixar o link do seu blog nem perca seu tempo,pois ele será deletado!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...