sábado, 7 de abril de 2012

Segurança de hospital veterinário mata pit bull porque "se assustou"

Final da tarde da sexta-feira santa. A estudante do nono semestre de veterinária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Mariana Simões dos Santos fez o trajeto que está acostumada a fazer todos os dias. Foi até o Hospital Veterinário da UFRGS e levou sua fiel companheira, a cachorra Artemis, da raça pitbull. Artemis era conhecida de todos, já que foi tratada no hospital após ser atropelada ainda filhote e abandonada. O que Mariana não esperava, é que um vigilante da empresa terceirizada matasse a cadela com um tiro na cabeça, dentro do hospital. O vigilante, que era novo no hospital, teria alegado que se assustou com a cachorra. Uma ocorrência policial foi registrada na vigésima primeira delegacia de Polícia. Uma nota de repúdio foi divulgada nas redes sociais. A reportagem é de Roberta Pinto.


Fonte: Gaúcha


Vejam o relato da tutora, a estudante Mariana Simões, publicado na rede social Facebook:


Ártemis
"Esta era minha cadela Artemis. Ela era uma pitbull. Ela teve uma vida dificil. Aos dois meses foi atropleada e abandonada no HCV-UFRGS. Passou por varias cirurgias e um longo periodo de fisioterapia e reabilitação, mas mesmo assim ela era feliz. Era um animal docil, comportado, bem educado, amavel e tudo que se pode querer de um cão. O unico problema dela foi a sociedade injusta e burra na qual a gente vive. Hoje a tarde ela foi assassinada por um dito segurança de uma empresa tercerizada muito mal preparado que ao ver um cao latir na area de um hospital veterinario simplesmente saca a arma e da um TIRO NA CABEÇA da cadela. Não ele nao atirou pra cima. Ele nao atirou na pata, foi na cabeça, com a clara intenção de matá-la, na frente dos donos, estudantes e veterinarios que estavam de plantao no feriado. Uma pessoa que nao pensa antes de atirar e que tem medo de cachorro nao poderia estar la. Mas enfim, o que tem que acabar primeiro é o preconceito. Nao existe cão assassimo por natureza, eles nao sao maus ou bons, sao apenas cães reagindo a situação na qual foram criados e ensinados. A minha era muito amada, e nao so pela minha familia mas por muitas pessoas que eu desconhecia e ela conquistava com sua simpatia inocente. E foi justo ela que morreu por ser um pitbull. Ignorancia total, sociedade burra e engessada, injusta e que acredita no que ve na tv sem questionar. Seres humanos nao sao todos iguais, cães também nao. De 1g de amor prum pitbull que voce recebera toneladas de volta. Foi oque eu aprendi com a Temi. R.I.P minha flor."





O caso foi registrado na 15ª Delegacia de Polícia da Capital logo após a morte do animal, na tarde de sexta-feira. Segundo o titular da DP, Luiz Fernando Martins Oliveira, um inquérito deverá apurar as circunstâncias do disparo. "Na segunda-feira vamos tomar as providências, como chamar os envolvidos para prestar depoimento. O principal é esclarecer o motivo que levou o vigilante a disparar contra o animal", disse.
A cadela Artêmis foi atingida por um tiro na cabeça disparado pelo servidor de uma empresa que presta serviços de segurança à universidade. O animal chegou a ser encaminhado ao hospital veterninário, mas não resistiu ao ferimento. A dona do pitbull, Mariana Santos, criticou no Facebook a ação do vigilante.
"Hoje a tarde ela foi assassinada por um dito segurança de uma empresa terceirizada muito mal preparado, que ao ver o cão latir na área de um hospital veterinário simplesmente saca a arma e dá um tiro na cabeça da cadela", disse a estudante ao destacar que o animal estava junto aos donos, estudantes e veterinários da faculdade, que trabalhavam no plantão do feriado.
Fonte: Terra

7 comentários:

  1. Nada justificava um tiro na cabeça. A cadela atacou o segurança? Parece que não, só latiu. Prá mim, isso dá processo, e dos bons. Tem testemunhas, não tem? Então, processo e muita divulgação, prá desestimular esse tipo de atitude em outras ocasiões. A Artemis não volta mais, mas pode levantar a bandeira prá que outros não sejam assassinados por puro despreparo!
    Esse é mais um daqueles casos que não podem cair no esquecimento...

    ResponderExcluir
  2. Minha opinião é a mesma do Juremir Machado:
    Não tenho como duvidar do relato da estudante que afirma ter sido a cadela pittbull executada friamente por ter latido.
    O que me chama a atenção é outra coisa, sintomática.
    O rebuliço nas redes sociais.
    Volta e meia um pitbull executa uma criança e não vejo manifestações contundentes nas redes sociais.
    Nem a organização de marchas como está previsto.
    Afinal, os cachorros não são racionais e não podem ser responsabilizados.
    Também não há marchas nem críticas contundentes, dos defensores dos animais, aos donos de pitbull que matam crianças.
    É sempre o mesmo discurso: são animais que, adestrados corretamente, podem ser muito dóceis.
    Que sejam dóceis bem longe de mim e das crianças desavisadas.
    Não consigo entender a razão de alguém criar um pitbull em casa ou, especialmente, num apartamento.
    Nem, claro, a razão de alguém matar friamente um pitbull.
    Mas acho que há mais alarido pela execução de um pitbull por um homem do que pela morte de uma criança por um pitbull.
    Sinal dos tempos.
    Não duvido que o guarda que matou o pitbull venha a pegar 30 anos de cadeia.
    Sem progressão de pena.
    Que pena pegam os donos de pitbull que matam crianças?
    Defender crianças contra pitbulls desagrada muita gente.
    Será que o vigilante tinha alguma conta a acertar com pitbull?
    Ou sentia medo só de ver o bicho como acontece com muita gente?
    Bem, pode ser também um homem insensível aos animais.
    Como se dizia antes, com incorreção política, um animal, um pitbull.
    A justiça dirá.
    As imagens esclarecerão.
    A próxima vez, porém, que um pittbul matar uma criança, quero o mesmo barulho.
    E rigor total com o dono do bicho.
    Direitos iguais.
    LeandroFischer

    ResponderExcluir
  3. Leandro, a pena dos pit bulls que atacam uma criança É A MORTE! Acorda, vai estudar um pouco, LARGA MÃO DE SER IGNORANTE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Você pode ser um assassino e não é por isso que chegam te dando um tiro na cabeça ou que você ande com uma algema.

    Se você é medroso e acredita em tudo que a mídia diz, vai para um buraco se esconder, tenha medo dos HUMANOS que estupram, matam crianças FRIAMENTE. Seres humanos são RACIONAIS né? Poxa vida, e você tem medo de UM CACHORRO? Meu deus, você vive no mundo errado. Mundo da mídia onde o ser humano é bonzinho e o cão, NOSSA O CÃO ESTÁ PLANEJANDO UM GENOCÍDIO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VC NÃO ME RESPONDEU... E A PENA PARA "OS DONOS" COMO É QUE FICA?? AFINAL, SEMPRE DIZEM DEPOIS DOS ASSASSINATOS DE CRIANÇA: "ELE ERA TÃO DÓCIL". ISSO ME LEMBRA EM GENTE QUE ACREDITA EM DEUS. QUANDO É COISA BOA, FOI DEUS QUEM FEZ. SE É COISA RUIM, AH! É CARMA, É PROVAÇÃO, É TESTEMUNHO É LIVRE ARBÍTRIO OU É COISA DO CAPETA. TUDO PARA "ISENTAR" DEUS. NO CASO DO PITFERA DEVIAM CULPAR A ARMA E NÃO QUEM A DISPAROU(SEGUINDO O SEU BELO RACIOCÍNIO ANIMAL)NÃO É MESMO? DEVE SER MUITO BOM VIVER NO MUNDO DA LUA, QUERO DIZER, NO MUNDO DOS ANIMAIS. UMA VERDADEIRA FÁBULA ONDE VCS SE ENTENDEM PERFEITAMENTE. VC PODERIA ESTAR MUDANDO O MUNDO AQUI FORA. MAS PREFERE FICAR CONVERSASNDO COM ANIMAIS E DEUSES!!! REALMENTE... ESSE MUNDO NÃO TEM MAIS JEITO!!
      CONTINUE "ESTUDANDO"... TALVEZ VC TERMINE O SEGUNDO GRAU.

      "OPINIÕES DEFENDIDAS APAIXONADAMENTE SÃO AQUELAS PARA AS QUAIS NÃO HÁ BOAS JUSTIFICATIVAS." Bertrand Russell

      Leandro Fischer

      Excluir
  4. Os cães estão mais humanos. Demasiadamente humanos. Com roupas e nomes de gente, vão à creche de perua escolar, passeiam no shopping, fazem sessões de spa. De melhores amigos foram promovidos a filhos.
    O cachorro é o centro de muitas famílias. É a nova televisão. É ele quem une as pessoas.
    Não é preciso ir mais longe: sobram evidências para o que os especialistas chamam de antropomorfismo ou humanização -atribuir aos bichos características e sentimentos humanos.
    As hipóteses para explicar o fenômeno são muitas. "A configuração da família está mudando. Cresce o número de pessoas sozinhas e com dificuldade de se relacionar".
    O contato com animais de estimação tem a mesma função do contato interpessoal: suprir carências afetivas.
    Um cão não reclama se você chegar tarde e sempre está disposto a dar uma volta. "É o relacionamento perfeito. Podemos desabafar sem receber críticas. Colocamos eles no patamar afetivo de seres humanos e preenchemos um vazio".
    O problema é idealizar a relação e projetar no animal um comportamento que não é de sua natureza. Como é mais fácil de controlar, a pessoa acha que é uma relação perfeita e acaba ficando desestimulada de criar outros vínculos sociais.
    Para cães e gatos, serem tratados como crianças também não faz bem. "As necessidades básicas dos animais podem ser esquecidas".
    São coisas diferentes. O cachorro nos dá coisas que o ser humano não dá, e os animais não dão tudo que os humanos dão. Eles nos dão uma alegria canina. Só isso já é culturalmente vazio.
    Leandro Fischer

    ResponderExcluir
  5. – Adoece-se de muita coisa. Por que parar de fumar?
    – Homens também cometem atos violentos. Por que condenar a violência de um animal?
    – Humanos mentem. Melhor ficar com os animais que nunca nos enganam.
    – Os pit bull não nascem maus. É a sociedade que os perverte.
    – Só o homem entende os critérios de classificação da natureza que ele mesmo adota.
    – Por que, em vez de estimular o preconceito contra certos animais, não defender a esterilização deles?
    – Um animal bem adestrado não representa perigo algum, salvo se tiver seu espaço invadido.
    – Segundo um especialista, tem cães que não são agressivos, mas atacam se há muito movimento no espaço deles.
    – Um cão pode escolher o seu dono.
    – O cigarro pode ser um ótimo antidepressivo e de fazer bem à saúde mental.

    Leandro Fischer

    ResponderExcluir
  6. NOTÍCIA DE ZERO HORA 17/04/20012
    Começou tudo de novo:
    Uma Sexta-feira 13 típica de um filme de terror. Três pessoas foram atacadas por um cão da raça pitbull, em mais um caso polêmico envolvendo a raça. Um casal que foi visitar a filha e o genro em Florianópolis, foi a primeira vítima do ataque. Antes de retornar para a Porto Alegre na manhã de segunda-feira, Ângela Sezra Rohden, 52 anos, teve que voltar ao Hospital porque o braço mordido pelo cachorro está infeccionado. A família já gastou mais de R$ 500 para tratar os ferimentos.
    O supervisor técnico Osmi Rohden e a mulher Ângela chegaram da Capital gaúcha às 22h30min de sexta, na Praia de Canasvieiras, onde moram a filha e o genro. Eles decidiram ir até a orla para matar as saudades do mar.
    Quando retornavam, caminhando pela Rua Ranupho José Sobrinho, passaram em frente a casa onde vivia o pitbull Taurus. Neste momento, o cão fugiu e partiu para cima deles.
    A dona do pitbull teria aberto o portão para receber uma visita quando ele aproveitou para escapar. O genro de Osmi, Cássio Dorneles, 28, ainda tentou controlar o cão com um pontapé quando ele abocanhou o braço de Ângela.
    — Ele a derrubou no chão e enquanto tentávamos dominar o cachorro, ele arrastava minha mulher para outra direção. A força era tão extrema que chegou a arremessar os óculos dela longe, rasgar a calça jeans e o sutiã que ela vestia.
    A filha, Jaqueline Rohden, 25, que segurava uma cachorra de pequeno porte da raça poodle, também foi mordida pelo pitbull.
    — Quando levantei meu braço para soltá-la, o pitbull pulou e cravou o maxilar no meu braço. Ele fechou a boca e não largava, estávamos apavorados e nada dos donos do cachorro ajudarem.
    Desesperado, o pai de Jaqueline diz que tentou abrir a boca do animal com as mãos. Como não conseguiu, chegou a morder a orelha do animal.
    — Foi quando ele soltou o braço da minha filha. Nós estávamos gritando desde o início do ataque e só neste momento a dona veio capturá-lo com uma guia.
    Mesmo preso, cão se soltou e atacou de novo
    O ataque não parou por aí. Preso na coleira, o cão conseguiu se soltar e atacou Cássio. Mesmo sem ter o braço perfurado, a mordida provocou um sangramento interno e um grande hematoma. O dono do cão, Álvaro Alovisi, disse que “o animal é dócil” e que “só teria reagido porque as vítimas começaram a gritar”.
    — Ele “deve” ter ido cheirar a poodle. Como eles se assustaram o Taurus deve ter ficado “confuso”. Aqui nesta casa ele vive há um ano e nunca havia mordido ninguém. Meu filho de cinco meses fica no carrinho bem próximo ao cachorro, que nunca chegou perto. Tiramos ele daqui após o ataque porque um policial ameaçou matá-lo.
    Leandro Fischer
    obs: Grande policial !!!!!

    ResponderExcluir

Se você irá apenas deixar o link do seu blog nem perca seu tempo,pois ele será deletado!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...